sábado, dezembro 25, 2010

perdendo minha respiração

sei tudo
da notícia
entrecortada
da sua boca
queria saber

que demônios me
assaltavam então

a possessão
dos
seus dedos
no meu corpo
nas minhas palavras

não sou mais o que digo

o que escrevo não existe

me curvo como
uma salvação
respiro e

o jornal
não é o de hoje
hoje não é hoje
e o sol nem saiu.

quinta-feira, dezembro 23, 2010

Este Dezembro


Decerto ninguém poderia
um sonho doido
um minúsculo tributo
se lembrar
eu cogito que é dezembro
que vem me cercando
e é cercado por todos
os pensamentos,
esqueço dele como final.
Deserto de todas as lutas
e respiro até o verão monstruoso
que me comunica, Olhe os dias
você não existe, você não existe.
Tudo registrado
mas
Nenhuma mudança realmente ocorreu.

segunda-feira, dezembro 20, 2010

Se Aproxima

não passou
o que tivesse que
marcou o calendário
um risco e o papel
rasgado,
a criança mais ladra
que a vida me dizia
e você também ouvia
os dois compartindo
este segredo,
agora o mês veio seco
ninguém, eu, se lembra
e o vago ar de hoje
e a chuva entrevada
te superestima.

sábado, dezembro 11, 2010

respiração

o coma inevitável
eu respiro, a luz
não pode faltar surpreendendo
a minha natureza,
me fere os acasos e os óculos.
e digo que estive pensando.